Ansiedade fora de controle?

Saiba como a psicoterapia pode ajudar

A ansiedade é um sentimento inerente ao ser humano e necessário para a sobrevivência. Ela faz parte de um mecanismo fisiológico do organismo, que libera uma série de mediadores químicos, como a adrenalina, para enfrentar situações de tensão e perigo.

Esse processo permitiu que os nossos antepassados das cavernas sobrevivessem diante de uma fera faminta, por exemplo. A ação dos mediadores químicos, em um momento de pavor, faz com que os batimentos cardíacos e a pressão arterial aumentem, ao passo que o sangue é desviado para os músculos para que eles fiquem mais fortalecidos diante do combate ou fuga.

Nos tempos atuais, a ansiedade pode nos ajudar a ficarmos mais alertas e focados diante de circunstâncias desafiadoras, além de nos impulsionar a buscarmos um objetivo. No entanto, quando sentida em alta frequência e intensidade, e manifestada em situações inapropriadas, ela deixa de ser um fator de proteção e passa a prejudicar a nossa qualidade de vida e nossos relacionamentos familiares, sociais e profissionais.

Pressões cotidianas, problemas financeiros, preocupações com o trabalho e família são algumas das situações que podem gerar um transtorno de ansiedade. Um dos diagnósticos possíveis envolvendo ansiedade patológica é o de Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), com os seguintes sintomas: preocupação excessiva ocorrendo na maioria dos dias, por mais de seis meses; dificuldades em controlar a preocupação; inquietação, cansaço, irritabilidade, tensão muscular, dificuldades para dormir, mãos geladas ou suadas, sensações de medo, pânico e desconforto, palpitações, respiração curta, entre outros.

Contudo, a ansiedade pode estar associada a outros diversos transtornos, como fobias (medos), síndrome do pânico, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e estresse pós-traumático.

Todos esses transtornos são impulsionados por processos subjacentes semelhantes. Geralmente, quem sofre de algum tipo de ansiedade tende a se tornar facilmente sobrecarregado por suas emoções e a ter reações negativas a sentimentos desagradáveis. Muitas vezes, o indivíduo tenta lidar com essas reações negativas, evitando situações ou experiências que o deixam ansioso. Infelizmente, essa atitude pode ter o efeito oposto e alimentar ainda mais a ansiedade.

Tratamento com psicoterapia

Não há dúvidas de que os transtornos de ansiedades causam prejuízos à vida pessoal e profissional de seus portadores, levando a um grande sofrimento. Por isso, buscar ajuda médica é um passo muito importante.

A psicoterapia é uma das ferramentas mais eficazes para o tratamento dos transtornos de ansiedade.Com a ajuda de um psicólogo, o paciente poderá entender quais comportamentos, ideias e emoções contribuem para a sua ansiedade e, assim, irá desenvolver novas habilidades para lidar com o problema.

Na psicoterapia é possível usar diversos tipos de abordagens, de acordo com as necessidades de cada paciente. O trabalho pode ser realizado individualmente; em grupo, com outras pessoas que sofrem com o transtorno; e entre familiares, ajudando-os a compreender a ansiedade de seus entes queridos e ensinando-os maneiras de interagir de forma que não reforcem hábitos ansiosos. Esse último tipo de psicoterapia é particularmente bastante eficaz em crianças e adolescentes que sofrem com o problema.

A maioria dos pacientes são capazes de reduzir ou eliminar os sintomas da ansiedade após alguns meses de psicoterapia, restaurando a capacidade de construir uma vida normal e saudável.