Psicoterapia: uma grande aliada contra a depressão

A depressão é uma das doenças mentais mais comuns no mundo todo, com cerca de 350 mil pessoas afetadas. O distúrbio provoca alterações de humor de forma incompatível ou exagerada às sistuações vivenciadas, sendo diferente das variações de humor que sofremos no dia a dia.

Entre os sintomas mais frequentes da depressão estão tristeza, pessimismo, perda de interesse em atividades que antes davam prazer, cansaço, ansiedade, insônia, sentimento de culpa, baixa autoestima e dificuldade de concentração por pelo menos duas semanas seguidas.

As condições que levam alguém à essa doença podem variar. Traumas psicológicos, perdas, predisposição genética e até um desequilíbrio químico no cérebro podem contribuir para o desenvolvimento da depressão, que dependendo da quantidade e gravidade dos sintomas pode ser caracterizada em leve, moderada ou grave.

Uma pessoa com depressão leve, por exemplo, terá algumas dificuldades para realizar tarefas rotineiras de trabalho e atividades sociais, mas não irá interromper totalmente sua rotina. Já, em episódios de depressão grave, é muito provável que o indivíduo não consiga continuar com suas atividades sociais e de trabalho, trazendo muitos prejuízos a sua vida.

Tratamento com psicoterapia

Em muitos casos, o portador de depressão não sabe como ou onde procurar ajuda, já que não tem energia ou vontade de agir, o que acaba retardando o diagnóstico e prolongando o sofrimento.

Por esse motivo, é muito importante saber que existe tratamento para a depressão e o quanto antes ele for iniciado, melhor, pois o problema pode levar ao aumento do estresse e comportamentos que pioram tanto a vida da pessoa como a própria doença, se tornando um círculo vicioso.

O tratamento da depressão pode combinar medicamentos antidepressivos com a psicoterapia – um dos métodos mais efetivos contra a doença e utilizados por psicólogos.

A psicoterapia envolve uma série de técnicas que irá ajudar a pessoa a:

– Entender comportamentos, emoções e ideias que contribuem para a sua doença;
– Entender e identificar problemas ou situações – como uma doença, a morte de um ente querido, a perda do emprego ou um divórcio – que contribui para a depressão e, assim, ajudá-la a entender quais aspectos desses problemas é possível resolver ou melhorar;
– Reestruturar formas de pensar, atributos negativos e atitudes que a pessoa tem sobre si mesma, e identificar maneiras pelas quais os pensamentos negativos podem perpetuar a depressão;
– Recuperar o senso de controle e prazer na vida;
– Aprender técnicas de enfrentamento e habilidades para resolver problemas;
A psicoterapia pode ser trabalhada de forma individual, em que há somente o paciente e o psicólogo; em grupos de dois ou mais pacientes, possibilitando o compartilhamento de experiências; em casal; e em família, já que a compreensão e ajuda dos familiares são importantes para a recuperação do portador de depressão.
Independentemente do formato de psicoterapia escolhida, existem diversos tipos de abordagens que podem ser utilizadas pelo profissional de acordo com cada caso. Se você suspeita estar com depressão ou possui um familiar com o problema, procure ajuda!